Pastoral da Juventude

O QUE É PASTORAL DA JUVENTUDE?

A Igreja como instrumento que ajuda na concretização do Reino tem sua maneira própria de evangelizar, levando o Cristão a  participar dentro de todas as realidades que nos envolvem, organizando-se em grupos específicos, que são as PASTORAIS. PASTORAL é toda a ação que muda o modo de pensar, de ver e agir buscando na caminhada a concretização do PLANO DE DEUS que é o seu Reino de justiça, liberdade para todos. "Fazer" Pastoral é fazer o que Jesus fez. É continuar sua missão. Pastoral é serviço, ação, trabalho de quem segue Jesus (Ezequiel 34).

Pastoral da Juventude do Brasil é ação organizada dos jovens que são Igreja junto com seus pastores e com toda comunidade para aprofundar a vivência de sua fé e evangelizar outros jovens com opção evangélica preferencial e consciente pelos jovens das classes populares e pelos jovens marginalizados, em vista da construção de um mundo mais fraterno e justo, a fim de que se transformem em novos homens e novas mulheres, sendo pois agentes da construção da nova sociedade, guiados pelos critérios evangélicos.

É ação global, coordenada e oficial da Igreja no meio da juventude, animada pelas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora  da Igreja no Brasil e em profunda sintonia com os objetivos, as prioridades e as orientações das nossas Dioceses.

Se diz Pastoral "DA" Juventude e não "DE" Juventude. Se fosse de Juventude, seriam os outros: padres, religiosos(as), adultos e leigos, trabalhando para os jovens. Ou seja, não seríamos sujeitos de nossa história. Mas sendo Pastoral da Juventude significa dizer que o compromisso primeiro de fazer o que Jesus fez no meio da juventude, é do jovem. "É o jovem evangelizando o próprio jovem!" PASTORAL DA JUVENTUDE é tempo de descoberta pessoal, grupal e da sociedade. O jovem começa a ouvir, ver e sentir toda a realidade que o envolve que faz parte dele. Sente, então, o apelo de Deus e tenta dar uma resposta, percebe que o grupo de jovens tem de avançar. Já não se pode ficar só na reflexão e oração. É necessário partir para a AÇÃO. Estamos atendendo o chamado de Deus!!!

QUEM É DA PASTORAL DA JUVENTUDE?

Muitas vezes imaginamos que todos aqueles que fazem parte de um grupo de jovens são Pastoral da Juventude. Esse é um grave engano. Para ser pastoral da Juventude é necessário mais do que isso, devemos estar em sintonia com o que aconteceu na Igreja e ficar atento aos avanços sociais, tecnológicos e religiosos. Acima de tudo é estar em sintonia com as carências da sociedade, com uma ação planejada a partir das propostas da PJB.

Enfim, PJ são todos os grupos de jovens, assessores e coordenadores que procuram caminhar e crescer como Igreja e que se comprometem com a libertação integral do ser humano e da sociedade, afim de vislumbrar o Reino de Deus ainda neste mundo.

NOSSA HISTÓRIA

A Pastoral da Juventude é herdeira de uma história que vem sendo construída em nosso país desde 1930 com a chamada Ação Católica. Por volta de 1920, o Papa Pio XI preocupado com a missão da Igreja diante dos desafios e das grandes mudanças na realidade mundial (processo de urbanização e industrialização), estimulou a chamada Ação Católica que era o espaço de participação dos leigos católicos no apostolado hierárquico da Igreja, para o difusão e a atuação dos princípios católicos na vida pessoal, familiar e social.

A Ação Católica no Brasil foi marcada por dois momentos distintos. O primeiro, com a chamada Ação Católica Geral (de 1932 a 1950), e o segundo momento, a Ação Católica Especializada (de 1950 a 1960). Com a Ação Católica Especializada e os seus grupos JAC (Juventude Agrária Católica), JUC (Juventude Universitária Católica), JEC (Juventude Estudantil Católica) e JOC (Juventude Operária Católica) percebemos o início de um novo modelo de evangelização para os jovens. A Pastoral de Juventude herdou muita coisa deste período, como o método Ver-Julgar-Agir; uma prática transformadora a partir da realidade; a descoberta da dimensão política da fé; o protagonismo dos jovens e a presença do Deus Libertador nas lutas do povo.

Mas o surgimento de uma Pastoral Juventude Orgânica e transformadora como conhecemos hoje foi sendo gestado na década de 70 por iniciativa da própria CNBB e iluminado por um novo modelo de Igreja Latino-americana que vinha sendo construído através das conclusões e encaminhamentos das Conferências dos Bispos da América Latina ocorridas em Medelin (1968) e Puebla (1979). Foram nascendo e se organizando as pastorais de juventude: PJ - Pastoral da Juventude, organiza-se a partir dos grupos nas comunidades; PJE - Pastoral da Juventude Estudantil, organiza-se a partir dos grupos nas escolas; PJMP - Pastoral da Juventude do Meio Popular,  organiza-se a partir dos grupos  do meio popular, tendo como referência a classe social; e PJR - Pastoral da Juventude Rural, organiza-se a partir dos grupos de jovens na zona rural.

Essas pastorais assumem a espiritualidade que une a fé e a vida, a eclesiologia de comunhão e participação, valoriza a história e a caminhada feita, assume uma metodologia que parte da realidade, que reflete, estuda, planeja ações, celebra a caminhada, avalia sempre sua prática, assume os diferentes ambientes onde vivem os jovens.

Em 1983, a CNBB criou o Setor de Juventude, com o objetivo de assumir mais concretamente as orientações da Igreja na América Latina. Assumiu a Pastoral Orgânica da Juventude,  tendo o jovem como protagonista de sua ação evangelizadora, visando  favorecer a articulação  dos jovens a partir dos ambientes onde vivem. Não é uma ação planejada para jovens e, sim, a partir deles (as)  “jovens evangelizando jovens” com acompanhamento de assessores.

No Ano Internacional da Juventude (1985), criou-se o Dia Nacional da Juventude (DNJ).  Desde então, o DNJ é celebrado todos os anos, reunindo milhares de jovens em todo o país.

Em 1989, a coordenação nacional da Pastoral da Juventude do Brasil, decidiu criar uma Secretaria Nacional, com um (a) jovem eleito em Assembléia. Organiza,  também,  o jornal  "Juventude" destinado aos grupos de jovens.
 A grande força da Pastoral da Juventude se dá no Brasil em 1992, marcada pelo tema da Campanha da Fraternidade com o tema: Fraternidade e Juventude, e com o Lema: Juventude Caminho Aberto.

De lá para cá, graças à Deus, houve grandes avanços e continuamos caminhando com passos bem avançados. A história recente da PJ (1991-1997) foi gestada, com toda a dor e a esperança que é particular de um parto, a ousadia em refletir sobre si mesma, nos fez crescer passo a passo como uma criança que deseja viver as suas etapas em toda a sua plenitude.

“A Pastoral da Juventude é utopia e realidade, desafio e tarefa. Já está aí, mas nunca está pronta e acabada. Sua especialidade é estar sempre em construção, dinâmica e criativa, como a própria Juventude”.

A Pastoral da Juventude do Brasil mantém uma estrutura que parte dos grupos de jovens articulados em coordenações nos diversos níveis e ambientes. Ela assume também a assessoria como um ministério de acompanhamento e formação dos jovens e de sua pastoral e, também,  a busca do diálogo com as Congregações e Movimentos eclesiais que trabalham com jovens.

“Só uma Juventude organizada, será uma juventude forte”. (PUEBLA, 1185/1188).

NOSSO SÍMBOLO

O símbolo da Pastoral da Juventude surgiu de um comcurso nacional realizado entre o final dos anos 80 e início dos anos 90. Foi Criado pelo então jovem Cristiano, do Regional Sul I, hoje já adulto e casado.

O símbolo da PJ representa uma cruz estilizada, como se ela estivesse deitada no chão, servindo de estrada, um caminho, rumo à “Civilização do Amor”, tão citada em nossos documentos e proferida pelo saudoso Papa Paulo VI para os jovens de todo planeta.

A cor vermelha do nosso símbolo é a cor da paixão. Paixão pelo novo, pelo protagonismo juvenil, pela utopia. E quando realmente estamos apaixonados, a gente respeita, a gente cuida, a gente ama. Enfim, amar nos leva a “Civilização do Amor”.

Mas afinal, o que é essa “Civilização do Amor”? A “Civilização do Amor” nada mais é que a concretização do reino de Deus aqui na terra. Nós acreditamos que o Reino de Deus se iniciará aqui quando o homem novo e a mulher nova tomarem consciência que um outro mundo é possível.

NOSSA IDENTIDADE

PASTORAL: A palavra vem de pastor (aquele que orienta o rebanho) é uma atividade da igreja (povo + clero). A Pastoral da juventude é organizada, desenvolvida e executada por jovens.

JUVENTUDE: É o momento de transição entre a adolescência e a idade adulta. Apesar disso ser verdade, a idéia de juventude indica muito mais que um simples momento, é a plenitude dos ideais, é sonhar, criar, acreditar e realizar. Enquanto sonhar e acreditar que pode realizar, será sempre jovem.
Somos jovens das diversas realidades regionais do país, na maioria empobrecidos e a exemplo de Jesus Cristo fazemos a opção pelos pobres e jovens. Nos encontramos em grupos para partilhar e celebrar a vida, as lutas, sofrimentos e cultivar a amizade a partir de uma formação integral e mística própria.

Somos grupos de Jovens motivados pela fé, atuando dentro das comunidades eclesiais, a serviço da organização e animação das comunidades. Atuamos também na sociedade inseridos nos movimentos sociais, com destaque a participação política-partidária, movimentos populares e outras organizações que lutam em defesa da vida e da dignidade humana.

Nos organizamos a partir das coordenações dos grupos, paróquias, diocese e regional, ligados à Igreja do Brasil e da América Latina. Assim construímos e registramos nossa história, criando uma unidade na diversidade.

Diante de uma política desumana da manipulação dos Meios de Comunicação Social e de uma realidade tão adversa ousamos assumir e propor os projetos da Pastoral da Juventude do Brasil, como alternativa na construção da civilização do amor, sendo presença gratuita e qualificada no meio da juventude, atuando também em parceria com outras organizações da sociedade.

Somos PJ organizada no Brasil, com linha definida e metodologia própria, aberta ao novo acolhimento dos anseios da juventude, garantindo o seu protagonismo, evangelizando de forma inculturada na realidade em que vivemos. Somos jovens felizes, apaixonados, ternos e motivados pela fé. Encaramos a vida com potencial criativo muito grande, valorizando as artes (dança, poesia, música...) o lazer, o corpo, o símbolo, as culturas, com ardor, sonhos e amor pela causa do Reino.

O QUE QUEREMOS?

Despertar os jovens para a pessoa e a proposta de Jesus Cristo, desenvolvendo com eles um processo global de formação a partir da fé, para formar líderes capacitados a atuarem na própria Pastoral da Juventude do Brasil, em outros ministérios da Igreja e em seu meio especifico, comprometidos com a libertação integral do homem e da mulher, bem como da sociedade, levando uma vida de construção da Civilização do Amor proclamando:

SIM: à vida, ao amor como vocação humana, à solidariedade, à liberdade, à verdade e ao dialogo, à participação, ao esforço permanente pela paz, ao respeito pelas culturas, ao respeito pela natureza, à integração latino-americana;

 NÃO: ao individualismo, ao consumismo, à absolutização do prazer à intolerância, à injustiça, à discriminação, à marginalização, à corrupção e à violência.

 O PRIMADO: da vida humana sobre qualquer outro valor ou interesse; da pessoa sobre as coisas; da ética, sobre a técnica; do testemunho e da experiência sobre as palavras e as doutrinas; do serviço sobre o poder; de uma economia solidária sobre a produção de riqueza; do trabalho sobre o capital; da identidade cultural brasileira e latino-americana sobre outras influências culturais hegemônicas; da fé e da transcendência sobre toda tentativa de absolutizar o ser humano.

O desafio da PJ é descobrir com os jovens a prática de uma espiritualidade cristã, capaz de mantê-los na esperança e animá-los na luta, ou seja, uma espiritualidade diferente para os jovens. A experiência pessoal de comunhão com Jesus Cristo e a adesão ao seu projeto de vida, devem levar o jovem a comprometer-se com a comunidade.

 Convidamos de coração os jovens a vencer os obstáculos que ameaçam seu direito de participação, consciente e responsável, na construção de um mundo melhor. Não lhes desejamos a ausência pecaminosa na mesa da vida nem a triste capitula­ção ante os imperativos do prazer, do indiferentis­mo ou da solidão voluntária e improdutiva. Já pas­sou a hora do protesto, traduzido em formas exó­ticas ou através de exaltações intempestivas. Tendes uma capacidade imensa. Chegou o momento da reflexão e da aceitação plena do desafio de viver, em plenitude. os valores essenciais do autêntico humanismo integral.

NOSSA MISSÃO

Inspirados no documento de Puebla, quando a Igreja fez a opção preferencial pelos (as) jovens, bem como nas orientações para a Pastoral da Juventude do Brasil e da América Latina, podemos definir que a nossa MISSÃO é:

- Organizar a ação pastoral a partir e junto à juventude - “jovem evangelizando jovem”;

- Possibilitar e acompanhar os (as) jovens a descobrir, ouvir, seguir e comprometer-se com Jesus Cristo e seu projeto, integrando a sua fé com a vida e fortalecendo uma espiritualidade libertadora; 

- Fortalecer a Igreja libertadora, a partir da experiência do Cristo Ressuscitado, acolhendo os (as) jovens na comunidade eclesial percebendo-os(as) como sinal da novidade da jovialidade de Deus;

- Possibilitar crescimento e o aprofundamento da fé para uma maior comunhão com Deus, com as pessoas e com  o universo;

- Acompanhar a elaboração do projeto de vida, respeitando as opções vocacionais dos diversos ministérios na perspectiva do Reino de Deus;

- Partir da realidade pessoal, social, cultural e histórica e do momento atual, indo ao encontro deles (as) como são, tendo como referência o meio específico em que vivem;

- Garantir espaços de vivência em pequenos grupos e/ou comunidades, onde possam partilhar alegrias e tristezas, angústias e esperanças, reflexão e ação, oração e celebração, festa, e tudo o que são e querem ser, o que vivem, o que crêem, o que sentem, o que sonham e ousam projetar;

- Reafirmar a opção profética e transformadora pelos(as) jovens e empobrecidos(as), colocando-se a serviço de uma nova sociedade;

- Criar espaços de participação da juventude  na Igreja  e na sociedade, percebendo meios eficazes para o exercício da cidadania e o despertar da militância;

- Contribuir para que os(as) jovens se tornem protagonistas da construção da civilização do amor, sinal profético do Reino definitivo e de esperança para a juventude na promoção da vida.

E OS GRUPOS DE JOVENS, ONDEM ENTRAM EM TUDO ISSO?

Não podemos esquecer o mais importante, que é a base da Pastoral da Juventude. Os grupos de jovens das comunidades e das diversas especificidades. Infelizmente ainda existe gente pensando que PJ é a coordenação, ou algo mais distante. Na verdade, os grupos de jovens é que são as bases da PJ, é no grupo e pelo grupo que a PJ acontece. Quando o grupo busca aprofundar e viver a fé, atuar na comunidade, descobrir como transformar a realidade e, junto com os demais grupos, ser evangelizador de outros jovens, já está sendo e fazendo PASTORAL DA JUVENTUDE.

NÃO EXISTE PASTORAL DA JUVENTUDE, SEM GRUPOS DE JOVENS

POR QUE ESTAR LIGADO A PASTORAL DA JUVENTUDE?

Para não ficarmos isolados, sempre na mesma coisa, para conhecer outras experiências e compreender a importância do intercâmbio, para descobrirmos que podemos ser mais fortes, ter acesso a mais informações, materiais, enfim, para que tenhamos uma organização com participação de todos os grupos de jovens, construindo, assim, uma "ação efetivamente organizada dos jovens para crescerem na fé e evangelizarem outros jovens". Será muito importante quando todos os nossos grupos de jovens de nossas paróquias, puderem e quiserem se reunir e trocar idéias e desenvolver atividades em todas as comunidades, sem contar o grande círculo de amizades que se formará entre os nossos grupos.

Pastoral da Juventude - Regional Sul 1 - São Paulo
Desenvolvimento: GT Comunicação PJ Regional Sul 1
Todos os direitos reservados ©